Uso de frequências na saúde 

A biofísica quântica utiliza frequências para interagir com o organismo. De acordo com seus princípios e fundamentos, cada átomo, molécula, célula, órgão, tecido, sistema, microrganismo, contaminante, e outros, teriam cada um sua própria frequência, oriunda do seu campo eletromagnético ou da oscilação dos seus prótons.

O uso de frequências para promover o equilíbrio do organismo, neutralizando contaminantes, bactérias, vírus, parasitas, tumores, disfunções e doenças, é algo que se tem noticia desde a década de 1930, com o Dr. Royal Raymond Rife como um dos pioneiros.

Biorressonância quântica e terapia quântica

A Biorressonância lança as bases para o surgimento da “terapia quântica”, criada pelo Professor Willian Nelson, à época cientista da NASA, sustentada no conceito de “campo energético” desenvolvido através do trabalho de Einstein (prêmio Nobel 1921), Einthoven (prêmio Nobel 1924) Albert Szent-Gyorgyi (prêmio Nobel 1937) e outros, conceito hoje perfeitamente aceito e validado nos círculos científicos. Como nos electroencefalogramas (EEG), nos electrocardiogramas (ECG) ou nos electromiogramas (EMG) que utilizam o registro elétrico para chegar ao diagnóstico, a Biorressonância usa a leitura da energia infinitesimal do ADN, permitindo a leitura da frequência eletromagnética a nível celular num determinado momento.

Existem muitas outras evidências científicas de que é possível adaptar as ondas energéticas e as transformar em agentes terapêuticos assim como fazemos com medicamentos químicos.

A Biorressonância apresenta-se assim como um método de analise e tratamento não invasivo muito eficaz para muitos distúrbios na saúde.  Ela atua nos desequilíbrios causadores do distúrbio, e não possui efeitos colaterais. Este procedimento tem sido usado com sucesso há mais de 20 anos em milhares de pacientes em todo mundo. Na prática, o exame de Biorressonância é efetuado através de eletrodos e sensores posicionados em certos pontos do corpo.

A avaliação por Biorressonância identifica a frequência eletromagnética do corpo ou de um órgão em particular. Cada órgão possui uma frequência eletromagnética única e identificável, que pode encontrar-se em equilíbrio (homeostase) ou em desequilibro osmótico. A avaliação por Biorressonância permite investigar o estado geral de saúde ou em particular de um órgão ou sistema, sendo portanto um instrumento que efetua uma análise bioenergética corporal humana. Como já mencionado, toda a matéria tem a sua própria frequência vibracional, e ela pode ser mutável e influenciada na presença de diversos fatores, tais como: emoções, pensamentos, parasitas indesejáveis, metais pesados, radiação, sons, nutrientes celulares e cores que, juntos ou isoladamente, contribuem para o desequilíbrio orgânico e o aparecimento de doenças.

Com o advento da nossa era moderna e os grandes avanços tecnológicos, a biofísica quântica tem experimentado uma grande evolução, com novas ferramentas, como tecnologias de análise e diagnostico, terapias frequenciais que ajudam a corrigir desequilíbrios e combater doenças, suplementos ou florais frequenciais (ou vibracionais), restruturação da água, etc.

 

Confira o vídeo abaixo, no TEDx Talks, sobre as evoluções que a biofísica (ou biorressonância) quântica tem tido, e o seu potencial de abordar virtualmente todo e qualquer aspecto da saúde.